quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Eu, o Rei, La Pitanga e Gil na rodoviária mineira

Visconde de Rio Branco, rodoviária, 25 de dezembro de 2007, 22h35, à espera do ônibus de volta ao Rio, depois do pior Natal da minha modesta biografia. Eu e o Rei.

Odeio começar um texto assim, mas, pra entender esse, seria deveras instrutivo ler o Manual para Identificar Canalhas Enrustidos, que foi o último post. Ou não, que não tô aqui pra editar leitura de ninguém. Foi mal.

Na TV do moço aqui do bar da Rodoviária (o Paulinho, do Serenu's), o especial de Roberto Carlos, claro. Acabou de cantar "Eu sou terrível" com o Gil: "Eu sou terrível, e é bom parar de desse jeito me provocar. Você não sabe de onde eu venho, o que eu sou, nem o que eu tenho". Deu vontade de ligar pro meu canalhinha enrustido preferido só pra ele ouvir esses versos e ficar irritadinho, como tem ficado nos últimos dias. Tadinho, anda estupefacto com o fato de eu ter enlouquecido de ódio e nojo só porque ele traiu todas, só to-das as promessas que fez nos últimos meses, sem falar na traição anunciada com a "semi-namorada", que é como ele chamava certa senhora casada.

Meu pai, tem alguém armado aí no Rio pra dar um tiro no Rei? "Não quero ver você triste, assim... A felicidade (pausa) até existe". Ergh. Acho que vou vomitar agora o egg-X-qualquer coisa que comprei pra-viagem na pracinha da cidade e acabo de engolir aqui na rodoviária.

Ih, agora, é "splish-splash", que foi o tapa que o coitado levou. Pensei imediatamente: se eu enfiar a mão na lata do meu cretininho, ia ter que ter uma onomatopéia pro barulho dos óculos quebrando na fuça dele, e um "ahhh", ao fundo, pra sonorizar a dor do intelectualzinho, tadinho, que acaba de ficar cego – se bem que, se bem conheço o traste, era capaz de ele se comparar ao Borges.

Ai, ai, ai, lá vem "minha triste história eu vou lhes contar, e, depois de ouvi-la, sei que vão chorar..." Vem cá, tô trocando o atentado contra o Rei por uns 10 tiros de fuzil no sujeito que escolheu as músicas. Enfim, nada disso tem importância. Esse show aqui na rodoviária, que eu não esperava (esqueci completamente que estamos todos condenados ao Rei todo raio de Natal), só tá servindo pra me distrair. Eu ia destilar todo o meu veneno aqui pra continuar meu purgatório e pra ver se alguma leitora também se anima a fazer companhia com alguma história triste ou, ao menos, um comentariozinho. O Rei não deixa! Deve ser por isso, aliás, que ele é Rei.

PÁRA TUDO... A Camila Pitanga, linda, grávida, feliz, mulher de marido gato, ainda sabe cantar!

Peraí.

Vou ali vomitar de novo, agora, de inveja, e ver se dou a sorte de achar uma bala perdida aqui na pacata Visconde do Rio Branco. É, bem, acho que não vai rolar. Com sorte, o ônibus derrapa em alguma ribanceira, e meu corpo fica embaixo das ferragens, perdido pra todo o sempre, retalhadinho.

O refrão "como é grande o meu amor por você" eu não vou comentar, não, tá? Respeitem esse meu momento difícil.

Preciso dizer que o Rei emendou "você foi...?". Nó na garganta, raiva, saudade do cão, mas uma saudade doente, imediatamente substituída por um nojo que acho que evitaria que eu sequer o beijasse se o bicho desencarnasse e virasse aparição aqui no interior de Minas. Se bem que beijar fantasma acho que só rolou, mesmo, no Ghost, com a Demi Moore atracada ao ectoplasma do maleta do Patrick Swayze. Errei de metáfora, foi mal. Admito, mas tô mal-humorada, furiosa e triste demais pra pensar numa outra comparação pro traste. Fantasma, que é igual a pessoa morta, no fim das contas, não me parece de todo ruim a essa altura.

Merda (não, na boa, galera purista: ouvir Outra Vez depois do Natal que eu tive merece esse palavrão, que, admitam, foi suuuuper-bem colocado).

A questão é que o coração tá aos pedaços, e eu não tenho nenhuma condição de ficar cantando musiquinha romântica festejando a saudade que se tem do amor que não se tem mais. O canalhinha enrustido que me cruzou a biografia NÃO foi a "saudade que eu gosto de ter", NÃO foi "o amor mais amigo que me apareceu", muito menos foi "a maldade que só me fez bem" - aliás, não tô aqui pra contradizer hit clássico do Rei, mas maldade, que eu saiba, não faz bem de jeito nenhum. Enfim, pausa aqui para admitir que escrevi a última frase toda no presente, mas percebi a tempo de salvar isso e troquei todos os "é" por "foi". Quanto ao "maior dos enganos", vá lá.

Uoba, entrou Alcione. Me entristeceu mais, não. Graças a Deus, tava aqui quase me agarrando ao Paulinho do Serenu's; gritando; batendo no peito com uma mão; na outra, toalhinha molhada de tanto enxugar lágrima; contando como sou desgraçada.

Agora, de coração, acho que vou mandar o Rei e a Marrom (apelido que ele não pronunciou, como todo mundo já sabe) enfiarem a Linha do Horizonte e as flores festejando mais um dia que vem vindo no... (vocês sabem).

Cara, tô me segurando aqui pra não mandar logo um outro palavrão nesse textinho, que tá bacana, levinho. Mas "Solamente uma vez" é sacanagem. "Sacanagem" ainda é palavrão? Né, não, né? Economizei um cartucho. E, não, não vou dizer que tô aqui furiosa porque já me dei conta de que, em 41 anos, amei pela primeira vez no raio da vida - botei "amei" no passado pra manter o mínimo de dignidade que ainda me resta.

O Rei agora manda "eu te proponho..." Aí, fiquei pensando: será que ele, depois de cantar, vai falar pra platéia que isso é só uma "dessas coisas que a gente diz por dizer", como o traste me jogou na lata?

E segue com "no teu corpo, é que eu encontro". Nenhum comentário.

Ih, quase na hora do ônibus. Vou ter que ir embora antes de ver como diabos o Rei vai encerrar essa sessão de tortura a que acaba de me submeter sem nem saber. Acho que vou convocar o Tortura Nunca Mais e fazer passeata lá na porta do queridão da nação, na Urca. Ih, acho que essa piada vai incomodar a turma politicamente correta. Pô, galera, releva, aí, vai, releva, o negócio tá feio pro meu lado.

Fui.

P.S.: Ao longe, lá da plataforma, ainda deu pra ouvir o Rei iniciando "os botões da blusa...". Como ninguém vai me desabotoar botão de blusa nenhum nem tão cedo, caguei. A exceção otimista pro ato de desabotoar os botões da blusa que eu ainda uso pode ficar pra algum enfermeiro do Souza Aguiar, se eu der, mesmo, a sorte de achar uma bala perdida aqui, no bom e velho Largo do Machado, já que o ônibus não derrapou em ribanceira nenhuma, e meu corpinho tá aqui inteirinho no meu puleirinho.

Se Deus existir e já tiver se arrependido de ter criado canalhas enrustidos, o enfermeiro há de ser daqueles bem machos; sujeito homem; que cumpre promessa de futuro, nem que seja a de dar injeção no olho logo depois do café da manhã na emergência; sem nenhum resquício de intelectualidade sexagenária ultrapassadinha. Tô muito legal de retórica frouxa.

Mas, enfim, como nenhum cachorro me sorriu latindo quando adentrei meu cafofo, nessa quarta-feira de manhãzinha, e como a preguiça já venceu a ira, a troca dos lençóis macios nos quais amantes se davam já ficou oficialmente adiada pra quando eu acordar, refeita, que espero estar, do inesquecível Natal de 2007.

23 comentários:

Cris disse...

cara, o blog está sen-sa-cio-nal! Você é a voz de todas as mulheres que encontraram um canalha na vida! E mais: eles sempre perguntam sobre a porra da relação e pedem em casamento!! Sim, você soube descrever um canalha..rs E quanto ao Rei - que morra, ele é o rei mesmo.. dos canalhas!! rs beijos mulé

rozane monteiro disse...

Valeu, brô! Vamu crescer essa coisa. Acho que pode ficar divertido se alguém mais contar história, carajo! O meu drama particular pode ficar com fio da meada, mas tende a ficar chatinho daqui a pouco. convoca a mulherada! Bjs

Ana disse...

Nadinho me pediu em casamento

Graça disse...

Também já fui pedida em casamento por um canalha sexagenário casado !!!! E, o pior, o que me envergonha, foi que aceitei ! Ahahahahahah
Um dia eu conto essa história, da qual já me recuperei, ufa ! Isso passa, juro que passa... (mas quase perco meus amigos, que queriam já me internar !)

Rozane Monteiro disse...

Graça, conta aqui a história!!!! Sem se identificar, mesmo. eu quero que a mulherada participe

pat disse...

Rozane
essa parte do teu blog é demais!
Adorei! Com todo respeito e minha solidariedade a sua longa espera na rodoviária. Fiquei um pouco meio...assim...sei lá... eu amo o Rei de paixão mas entendo perfeitamente sua ira.

Qto as promessas não cumpridas do seu canalha acredite esperei por oito anos. Tudo q ele me dizia não era bem aquilo. Até um eu te amo, mudava de contexto e se voltava contra mim. Teve uma época q eu pegava o celular e pedia pra gravar as declarações do tipo:" Ainda ficaremos juntos, quero um filho teu, não sei viver sem vc, só seu corpo me satisfaz, vc é a mulher da minha vida... e a pior de todas "CONFIA EM MIM". Eu confiei, me arrebentei e ainda... tenho vergonha de confessar... gosto dele. Inacreditável mas é isso.
Ele já esqueceu tudo q me fez passar e chora por não entender porque eu não quero mais viver "bons momentos". Só os momentos porque como ele já disse casamento estraga as pessoas. Deve ser por isso q ele ainda esta no dele. Ah lembrei outra frase: "Se eu me casasse com vc trocaria seis por meia dúzia, viraria a mesma monotonia". Assim na lata. E depois um beijo de rodar o chão. O hospício aceita internação de cafajeste?

Beijoca
Pat

Rozane Monteiro disse...

Pat, acho que nem hospício, nem inferno aceita internação de certos trastes. :)

Lincoln Rodrigues disse...

Rozane, parabéns pelo texto. Você expôs muito bem seus sentimentos e algumas realidades.

ROZANE MONTEIRO disse...

Obrigada, Lincoln. Conheceu o blog agora? Como você achou? Você é daqui do Rio?

Lincoln Rodrigues disse...

Oi Rozane, sou do Rio sim, mas naturalizado Brasiliense, onde consegui diminuir esse estresse louco. O seu blog conheci agora, pois etava navegando e esbarrei com um nome que achei bastante sugestivo: o nome do blog. Nele, encontrei uma pessoa gritando por sentido em algumas coisas enquanto escrevia. Continue a luta.

Tatiane disse...

realmente ,um canalha enrustido é muito díficil de ser "identificado", fiquei sete anos sem me envolver com ninguém por causa de um ,e depois de tanto tempo ,fui abrir guarda justamnete pra outro, nossa to muito mal,eles são dissimulados ,mentem mesmo ,vc fica até com pena na hora ,nossa ,ele me dizia tudo ,tudo q uma mulher gostaria de ouvir ...
.......derepente ,sumiu ,desapareceu ,do nadaa fiquei dois meses puta da vida (desculpe mas não tem outra palavra pra descrever como fiquei)me sentindo a pior de todas as mulheres ,,,
apareceu (eles sempre reaparecem) com a pior de todas as mentiras
-poxa tive q dar um tempo pq estava me apaixonando por vc ,fiquei confuso.

a idiota aqui ,caiu igual uma patinha ,decidi dar uma segunda chance,
resultado ,um bolo daqueles gigantescos de te deixar com a cara vermelha e sumiu denovo!!!!!

ROZANE MONTEIRO disse...

fica assim, não, amiga. eu também tentei de novo com o muso desta pequena obra de arte. dancei de novo. dã. por que que a gente é assim, meu Deus?

Constancia disse...

Bom, estou aqui para contar o que aconteceu comigo. Há mais ou menos 1 mês, o canalha sumiu. Após 4 meses de namoro. No início, ele disse que me amava, que queria viver o resto da vida dele comigo, enfim tudo o que uma mulher romântica gosta de ouvir. Ah! o homem tem 54 anos. Havia vários sinais, que não quis ver, ele passava muito mal e não me encontrava, ou então, a mãe dele não estava se sentindo bem, chegava exausto do trabalho e não podia me encontrar. Ah! Dizia que detestava telefone. Não conseguia falar com ele. Nas últimas 2 semanas, antes do sumiço, nem por msn conseguia falar com ele, com certeza o canalha estava entrnado off-line ou fez outro msn, porque descobrir que ele não havia me bloqueado e nem me excluido. Nessas mesmas semanas antes do sumiço, apareceu uma mulher no orkut dele, enviando aquele bonequinho dizendo que estava afim dele, se ele queria namorar com ela, pedindo para ele voltar para o msn, pois ela ainda estava on-line, eu eu, enviei e-mail, recado no orkut para o canalha, querendo saer o que estava acontecendo, se ele não queria mais, o melhor seria terminar o namoro. Ah! esqueci de comentar, eu sou viúva, e estava há 2 anos e 4 meses sozinha quando ele surgiu, tenho uma filha de 4 anos, e o canalha conviveu com a minha filha, frequentava a minha casa. Nós saíamos juntos, eu, ele e minha filha. O canalha chegou a perguntar a minha filha, se ele poderia casar comigo... Voltando à questão da outra mulher, no dia 8 de dezembro, fui à página dele no orkut e me deparo com um recado dessa mulher para mim, dizendo para eu sair fora, pois ele já tinha dona, isso foi o cúmulo, na mesma hora, enviei uma resposta a ela e enviei outro recado a ele terminando o namoro e dizendo que não queria mais saber dele, que ele era um canalha, que não teve a decência de teminar um namoro, etc, etc. E eu tentei, antes disso, ligar para ele, no celular, duas vezes atenderam e só escutei barulho, ninguém respondia. Na casa dele, a mãe dava desculpa, pois percebi que ele estava em casa e não queria falar comigo. Foi o primeiro canalha que passou pela minha vida. Já exclui do msn, já eliminei ele do meu Orkut e fiz o bloqueio do chip do celular, pois eu havia dado a ele de presente. Esta é a minha história. Com certeza comprarei o seu livro.

sandra disse...

Olá Rozane, acabei de receber seu blog pela minha irmã e achei muito bom. Tambem tenho um canalha em minha vida....
Conheci um sargento que precisava de uma lugar para morar, foi meu irmao quem mandou, pois eram amigos, apos varia conversas acabamos por ficar juntos e ai resolvi que nao seria bom ele morar na minha casa. Acabei conhecendo onde ele morava,casa emprestada por um amigo, se é que se podia chamar aquilo de casa. Depois de muito pensar, ele foi morar em uma das casas da minha mae, e transformei essa casa em um lar, guarneci com tudo o que era preciso, que ele ficasse bem. Depois de um tempo ele resolveu que seria melhor ter duas de 20 do que uma de 40, entao resolveu contar uma historia triste de indecisão e eu quase morri de tanto chorar. Passados dois meses, ele ligou e lá fui eu de volta cheia de amor.
Apos dois anos de idas e vindas, mas cada um na sua casa, ele resolveu ir morar comigo, na minha casa juntar escovas de dentes e dividir o quarto, banheiro ele trouxe as coisas e estamos felizes foram passando os meses e eu estava financiando todas as despesas da casa, queijos e vinhos, churrascos, viagens, restaurantes, carro zero e sempre de tanque cheio ai descobri que nao era a unica na cama dele recebi um convite pelo orkut para adicionar uma amiga dele que me chamava de "pobre viuva rica" com isso acabei descobrindo outras e fiquei calada, mas ele percebeu e começou a me tratar mau, entrava em casa e nem me dava um olá, comia, dormia e se achava no direito de chegar tarde em casa, ou melhor na minha casa. Em janeiro de 2010 resolvi dar um basta na situação, pedi para que ele saisse da minha casa e ele ficou parado sem saber o que fazer, nao tinha para onde ir a casa da mae seria o ultimo lugar para onde ele voltaria, mas eu nao pensei em mais nada, pedi as chaves e o controle do portão e mandei ele sair ficou muito furioso.
O tempo foi passando e ele me mandava emails horriveis e eu respondia sem ofenças um dia me pegou virada e escrevi tudo o que pensava e o que ele tinha feito, chamei de canalha, rsrsrsr, como se isso o afetasse, isso durou 7 meses, qdo um dia recebi uma mensagem no celular docil, fiquei ate surpresa, me pedindo para sermos amigos e que queria conversar. Lá fui eu conversar, e assim ele estava novamente na minha vida, ah que droga, realmente sou uma tola, deixei uma pessoa que havia conhecido recentemente para ficar com esse psicopata, isso foi no final de agosto e agora estamos em Janeiro e ele vai pro inferno se depender de mim. Sargento de coração sujo, indole má e é isso nao vou dizer que meu amor por ele acabou, mas nao quero uma pessoa dessa mais do meu lado pode parecer estranho esse sentimento, mas é assim mesmo hoje estou na minha casa da praia, sozinha pensando em tudo o que ele me escreveu neste ultimo email ontem e descobri o quanto ele é cruel e o quanto eu fui burra, escrevi uma resposta a altura para ele,desabafei, coloquei tudo o que pensava e coisas que nunca revelei a respeito dele, mas ainda nao tive coragem de enviar. Li isso e fiquei pensando. "A sabedoria popular já afirmara: “Quem diz o que quer, ouve o que não quer”. O excesso de “franqueza” muitas vezes arruína bons relacionamentos. Porque uma palavra injusta dificilmente é esquecida, torna-se imperativo tomar muito cuidado com nossas falas...bjs e obrigado por dispor este espaço para um desabafo.....viuva

Aline disse...

Olá,venho aqui contar uma das muitas estórias de canalhas em minha vida....
Estava numa sala de bate papo da minha cidade quando um cidadão insistia em teclar comigo,acabei aceitando,conversa boa,muito educado,sem malícias,descobri que ele estudava com um colega meu,daí foi fácil pegar informações; - ah o rapaz é um dos 1º da turma,muito tímido,super na dele,gente boa demais! Então resolvi aceitar o convite para conhecê-lo pessoalmente e dai começamos a namorar,no início um homem maravilhoso,falava até q me amava,que eu era a luz pra vida dele,resultado namoramos 3 anos,falávamos em casamento e tudo e do nada ele resolveu fazer uma outra faculdade,lá mudou totalmente,começou a desligar o celular a não me atender, não me deixava as vezes ir para casa dele quando eu vinha do trabalho comecei a perceber algo estranho...seguí o cara e vi que ele não podia me dá carona quando vinha do trabalho pq estava dando caronas pra outras,fui até o fim...cheguei na faculdade dele e ele ficou pálido,perguntei quem era a moça e ele me falou que era uma amiga de sala que eles estavam se conhecendo,ai fechou o tempo disse a ela que eu era namorada dele a 3 anos e ele me apresentou a moça como "ex-namorada" e disse q fazia uns dias que tinha terminado comigo. Assim na lata,na frente de todo mundo,inclusive da nova paquerinha.Olhou pra mim e disse: eu não sou mais o cara que vc conheceu!
Sério se eu pudesse tinha quebrado a cara dele por inteiro de tanto ódio. Maior canalha,covarde ...
Hoje agradeço a DEUS por ter tirado aquilo da minha vida.
até mais,com outra estória rs rs

ROZANE MONTEIRO disse...

Aline, desculpe, mas só agora tive tempo de ver teu e-mail com calma. Meu Deus! Cara, na boa, devia ter uma lei que botasse na cadeia gente assim. Que cachorro. Mas, como diz você, que bom que "aquilo" cantou pra subir. E, como diz uma bichinha amiga minha: "Volta pro mar, oferenda!" Na boa, tomara que você se sinta como hoje eu me sinto: que bom que esse palhaço sumiu no mundo. Agora, sim, não sei como você teve forças pra não enfiar a mão na fuça da anta. Mas, por outro lado, que bom que você não armou barraco maior. Desencana, cara, desencana. Esse aí só tende a ser infeliz e a fazer mulher infeliz pelo planeta. Conte mais histórias. Quero dizer, não que eu queira que você encontre mais canalhas pela vida! É só pra gente botar no blog essas histórias pra alertar a mulheradas.

Bjs. Rozane

ROZANE MONTEIRO disse...

Sandra, primeiro, desculpe por demorar a te responder, mas a semana de trabalho foi punk. Cara, sua história me fez ficar com vergonha da minha. Que cachorro profissional, meu Deus! Que palhaço! Que aproveitador barato! Sinceramente, acho que você devia, sim, mandar esse e-mail, se você precisa desabafar e deixar claro pro traste que você sabe o mané que ele é. Mas também acho que, se não quer se aborrecer mais, larga de mão. Se refazer da ressaca moral me parece mais importante agora. Não sei. Desculpe se te confundi ainda mais. O que importa é que você está livre dessa história maluca. Bola pra frente, baby. A gente, que consegue se livrar de problema assim, é muito mais. Pensa bem: quais as chances desse idiota ser feliz de verdade?

Quanto mais vivo nesse planeta, mais eu acredito que quem vive de machucar os outros não há de ter paz, mesmo que não saiba disso. Cumpra-se.

Dá teu jeito de ser feliz. E escreva aqui sempre.

De uma forma ou de outra, é sempre bom saber que a gente não é a única a cair na lábia de canalhas em geral. Juro. E não se sinta culpada NUNCA. Esses caras têm o especial talente de dar um jeito de fazer a gente achar que a gente é que é maluca. Desse mal eu juro que já me curei. Por enquanto. :)

Aline disse...

Ai Rozane,ainda tenho outras estórias...e vou deixar aqui no teu blog para que as colegas possam saber quais os tipos de canalhas que existem rondando por ai.
bjo e adorei seu comentário querida.

Anônimo disse...

Oi Rozane, valeu.....acabei mandando o email e ele ficou furioso, que nunca alguem disse a ele coisas tão ruins e que iria sumir do mapa por um tempo....mas nao me convenceu, sabe estou lendo um livro "Mentes Perigosas"...meninas é fantastico como se consegue indentificar o canalha que viveu com vc como um psicopata.....não sei o de vcs , mas o que estava aqui tem 90% das caracteristicas....fiquei assustada com os casos relatados neste livro. Mas agora é hora de recuperação, retomar meus estudos e olha que quase perdi a vontade de terminar estando no quinto ano de Direito, que capacidade esses trastes tem de destruição. Beijocas a todas.....

ROZANE MONTEIRO disse...

Aline, vai contando, vai contando. tem que purgar e ajudar as colega tudo! :)

ROZANE MONTEIRO disse...

cara "Anônimo", fez muito bem. ficou tristinho? aun. tadinho. ninguém nunca disse coisas assim? quem sabe agora ele não pensa duas vezes antes de sacanear uma mulher, né? :) quanto ao livro, minina, sabe que nunca tive coragem de ler? mas admito que é por absoluta falta de coragem. morro de medo de acabar tendo a certeza de que convivi mesmo com alguma espécie de psicopata. um dia eu leio. :)

Aline disse...

Olá , mais uma das minhas estórias com os canalhas que passaram em minha vida. O Fabinho me apareceu do nada em um barzinho,em um momento em que eu estava super carente...se chegou conversou,me deu a maior atenção,só faltou me dizer que eu era a mulher mais fantástica e linda do mundo inteiro,pediu meu telefone,quis me deixar em casa,mas eu preferi voltar de ônibus rs ,ao chegar em casa me ligou pra saber se estava tudo bem e que estava com saudades kkk. Num outro dia me convidou para sair e nesse dia me pediu 21 vezes para namorar e eu recusei todas,até pq ele não fazia muito meu estilo,falava o tempo todo me encarando e não tirava os olhos dos meus lábios,dai rolou um beijos,ele foi conseguindo me envolver..ligava todos os dias e se mostrava muito preocupado pq eu trabalhava no interior,estradas ,vans etc. Mas com 3 meses juntos descobri que ele tinha voltado com a esposa e que ela estava grávida ! Liguei e comentei com ele,mas ele negou,até que um dia eu liguei para o celular dele e ela atendeu então esclarecemos tudo. Ele me ligou depois 72 vezes,mas eu não quis saber mais...Isso já fazem 3 anos e até hoje ele ainda insiste em me ligar (Só que ele não merece nem um pouco de minha atenção)
Fiquem ligadas meninas!!!!!
Eles estão as soltas.
Breve contarei mais de minhas decepções com esses canalhas Alagoanos.
Forte abraço

ROZANE MONTEIRO disse...

Constância, desculpe por não te responder antes. Na boa, eu até hoje acho que errei o nome do livro. Devia ter colocado "Sua Excelência, o Covarde". hoje, acho, mesmo, que esses caras são é absurdamente covardes. acabam canalhas, claro, mas no fundo, no fundo, me parece que padecem de extrema covardia. falta de "cojones", diria uma amiga minha poliglota. mudam de opinião e não têm a decência de avisar ou dar uma explicação plausível. simplesmente resolvem que devem sair de cena e dane-se quem se envolver com eles. são uns frouxos, a verdade é essa. tomara que você goste do livro. me conte depois que ler. bem-vinda a bordo!